Transplante de barba acaba de vez com as falhas no pelo

por Dr. Fernando Rodrigues |  3 de setembro de 2018

Cultivar barbas volumosas ou mantê-las bem aparadas pode estar relacionado tanto às tendências da moda quanto à identidade de cada homem. Independentemente do estilo adotado, cicatrizes ou falhas na barba podem comprometer o visual e afetar a autoestima. O transplante de barba pode resolver...

Transplante de barba acaba de vez com as falhas no pelo

Cultivar barbas volumosas ou mantê-las bem aparadas pode estar relacionado tanto às tendências da moda quanto à identidade de cada homem. Independentemente do estilo adotado, cicatrizes ou falhas na barba podem comprometer o visual e afetar a autoestima. O transplante de barba pode resolver esse problema!

A técnica utilizada no transplante de barba é a mesma do implante capilar, uma das cirurgias plásticas mais realizadas por homens. Os melhores folículos são escolhidos para serem implantados, fio a fio, nos locais das falhas.

Geralmente, os resultados são bastante satisfatórios e deixam a barba com um aspecto natural, proporcionando um melhor contorno facial. Quer saber mais sobre esse tipo de transplante? Continue a leitura e tire suas dúvidas!

Quando o transplante de barba é indicado?

Esse procedimento cirúrgico é indicado para pessoas que sofrem de perda dos fios,  como casos de calvície hereditária ou queda decorrente de cirurgias. O transplante de barba ainda é recomendado para cobrir cicatrizes ou manchas na pele e para corrigir barbas ralas ou com falhas.

As barbas, desde a Antiguidade, sempre foram interpretadas como a chegada da maturidade para os jovens. Assim, é inevitável que, mesmo em uma sociedade moderna, ter barba seja associado à masculinidade e virilidade. Por esse motivo, implantes de barba também são indicados por melhorar a autoestima e resgatar a valorização da estética masculina.

Uma boa notícia é que não existem contraindicações para esse tipo de transplante. Qualquer homem pode realizá-lo desde que tenha uma boa área doadora e não apresente dificuldades no processo de cicatrização.

Como esse procedimento funciona?

No Brasil, existem três técnicas de transplante de barba:

FUT

Do inglês Follicular Unit Transplantation, esse método consiste na retirada de uma área de pele doadora — nuca ou laterais do couro cabeludo — e inserção em uma área receptora.

Essa técnica é bastante prática pois o paciente não precisa raspar os cabelos da área doadora, além de que ela não afeta a densidade capilar nessa região. Dependendo da idade da pessoa e da elasticidade da pele, pode haver a formação de uma cicatriz linear na região que fará a doação.

Para minimizar a marca, é imprescindível que o procedimento plástico seja feito de modo cuidadoso por um profissional bem capacitado. Desse modo, essa cicatriz fica imperceptível com o tempo, sendo coberta pelos fios ao redor. A percepção dos primeiros resultados da FUT são praticamente imediatos e são considerados superiores aos das demais técnicas.

FUE simples

A técnica FUE — sigla para Follicular Unit Extraction — realiza a extração de folículos de uma área doadora e os insere em uma região receptora.

Nesse método, é possível utilizar fios de várias partes do corpo e há uma certa independência da elasticidade da área doadora. Contudo, a extração por FUE deixa micro-cicatrizes na região doadora e, se feita em excesso, ela pode despovoar o local, reduzindo a densidade capilar.

FUE robótica

Na FUE robótica também há extração dos folículos de uma região doadora para inserção em uma receptora. A diferença nesse método é que essa FUE utiliza um robô para escanear o couro cabeludo e selecionar os melhores folículos a serem transplantados.

Por exigir mais equipamentos importados, cirurgias feitas com essa técnica costumam ser mais custosas financeiramente.

Quais os cuidados após o implante?

Geralmente, o paciente recebe alta algumas horas depois da cirurgia e, se não houver complicações, ele será liberado para suas atividades normais já no dia seguinte. Porém atividades físicas são permitidas apenas após 10 dias do procedimento.

Depois do implante, é comum haver inchaço e vermelhidão tanto na região doadora quanto na receptora. Apesar dessas irritações leves, poucas pessoas reclamam de dor no pós-operatório. Nesses casos, o paciente pode fazer uso de medicação prescrita pelo médico para alívio do desconforto.

Os pelos devem cair nos primeiros 90 dias. Assim, não é preciso se desesperar, pois eles crescerão normalmente depois disso. Se isso não acontecer, é preciso ter calma e paciência com os pelos longos — barbear-se está permitido dois meses após a operação.

O transplante de barba não requer muitos curativos. No entanto, isso não indica ausência de cuidados pós-operatórios. Deve-se evitar exposição ao sol e idas à saunas por 30 dias. Pode-se fazer uso de cremes e óleos para fortalecer os fios, desde que indicados por um profissional qualificado a fim de evitar alergias.

A realização de um transplante de barba pode trazer diversos benefícios à vida do paciente. Para que o resultado seja satisfatório, com aspecto natural e recuperação rápida, o procedimento deve ser feito com aparelhagem adequada. Além disso, por se tratar de uma cirurgia minuciosa, é imprescindível que a operação seja realizada por profissionais especializados e conceituados no mercado.

Gostou deste post? Quer saber qual o procedimento apropriado para o seu caso? Então entre em contato com a gente para tirar dúvidas, fazer uma avaliação e receber  orientação adequada que o auxilie a alcançar seus objetivos.