fbpx

Entenda agora como funciona a dermolipectomia e quando é indicada

por Dr. Fernando Rodrigues |  15 de outubro de 2019
Entenda agora como funciona a dermolipectomia e quando é indicada

Você já ouviu falar sobre dermolipectomia? Esse procedimento é uma cirurgia plástica em que retira-se o excesso de pele e gordura de algumas regiões do corpo, a fim de redefinir os contornos corporais e devolver a autoestima.

Normalmente, ele é indicado para pessoas que emagreceram muito rápido, como aquelas que se submeteram à cirurgia bariátrica para tratamento de obesidade. Além disso, ele também pode ser útil no pós-parto, visto que, após a gestação, é natural que a região abdominal fique flácida e com excesso de pele.

Neste artigo, explicaremos o que é e como é feita a dermolipectomia, assim como outras informações importantes sobre sua indicação, o pré e pós-operatório. Confira!

O que é e como é feita a dermolipectomia?

A dermolipectomia, como dissemos, é uma cirurgia em que o excesso de pele é retirado. A região mais procurada é a abdominal e, nesse caso, o procedimento também pode ser chamado de abdominoplastia. Além da pele, também é possível remover a gordura que está logo abaixo dela,
melhorando o contorno do abdômen.

Esse procedimento também pode envolver a reparação da musculatura, visto que o excesso de peso ou a gestação podem provocar a diástase abdominal, ou seja, o enfraquecimento e consequente
abertura dos músculos.

A retirada de pele também pode ocorrer nas coxas, braços, costas e outras regiões que o cirurgião plástico julgar indicada ou que incomodem o paciente. Para tanto, o médico optará por anestesia peridural com sedação ou geral, a fim de manter a pessoa dormindo e sem dor.

Depois, serão feitas incisões cuidadosamente planejadas para retirar o excesso de pele e gordura. Se possível, as cicatrizes são posicionadas em locais discretos ou que não aparecem quando o paciente está com roupas.

Powered by Rock Convert

Para quem esse procedimento é indicado?

A dermolipectomia é ideal para pacientes com um alto nível de flacidez e gordura no abdômen, nas costas ou nos membros, o que pode acontecer após uma perda de peso brusca, gravidez ou com o envelhecimento.

No entanto, ela é contraindicada para mulheres que queiram engravidar novamente, assim como para pessoas que não tenham controle sobre a alimentação — ou seja, que emagrecem e engordam em um curto espaço de tempo.

Além disso, esse método não deve ser visto como uma técnica para emagrecer, visto que não é um tratamento para obesidade.

Quais são os cuidados no pré e pós-operatório?

Os exames pré-operatórios serão pedidos pelo cirurgião plástico e, normalmente, incluem hemograma, testes de coagulação e eletrocardiograma, dentre outros. Para cada situação de saúde,
o médico poderá recomendar um tipo de exame.

No pós-operatório, é importante frisar que os principais cuidados serão enumerados pelo médico e devem ser seguidos a risca. O uso da cinta é imprescindível nos casos de dermolipectomia abdominal e, normalmente, deve ser utilizada por pelo menos 2 meses.

O esforço físico é evitado por cerca de 60 dias. O paciente estará liberado para dirigir a partir de 3 semanas. No pós-operatório, é recomendado que o paciente esteja em acompanhamento nutricional, uma vez que o efeito sanfona é uma das principais causas de flacidez. Assim, a alimentação deve se manter regulada e saudável para evitá-lo.

E então, entendeu o que é a dermolipectomia e por que esse procedimento é capaz de devolver a autoestima dos pacientes? Lembre-se de que somente um cirurgião plástico pode realizar procedimentos cirúrgicos desse tipo!!

O Dr. Fernando Rodrigues é Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e atende em Belo Horizonte, realizando vários tipos de cirurgia plástica estética. Entre em contato e saiba mais!


Cirurgia Plástica em BH (Lipoaspiração, Mamoplastia, Silicone, Abdominoplastia, Rinoplastia, Lipo) Cirurgia Plástico em Belo Horizonte Minas Gerais