31 de Janeiro de 2018 por Dr. Fernando Rodrigues

Saiba como tratar a diástase abdominal com abdominoplastia

Diástase é uma palavra originada do grego, diastasis, e quer dizer separação. Diástase abdominal nada mais é do que a separação dos músculos do abdome, mais especificamente a musculatura.

Saiba como tratar a diástase abdominal com abdominoplastia

Quando se refere a como tratar a diástase abdominal, a abdominoplastia é uma técnica que vem sendo cada vez mais utilizada. Geralmente, é indicada em casos severos nos quais não é possível reverter o quadro com exercícios ou intervenções não invasivas, e a única opção é a cirúrgica. Apesar de ser mais comum em mulheres em seu período pós-parto, a diástase abdominal também pode estar presente em outros casos.

Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura e confira tudo sobre essa condição, incluindo as melhores formas de tratamento!

O que é diástase abdominal?

Diástase é uma palavra originada do grego, diastasis, e quer dizer separação. Diástase abdominal nada mais é do que a separação dos músculos do abdome, mais especificamente a musculatura reto abdominal. Conforme citado, frequentemente, acontece durante a gravidez quando os músculos abdominais se alongam devido ao aumento do útero, ocorrendo, então, o afastamento do músculo reto abdominal.

Mas também pode ocorrer em pessoas obesas que tiveram uma perda de peso brusca e em indivíduos com distúrbio na produção de colágeno, com doenças pulmonares crônicas e, até mesmo, com diabetes.

Como identificar?

Independentemente de quão magra a pessoa seja, a diástase torna o abdome abaulado. Não por acaso, é comum se referir a essa condição como “estômago alto”. Também se pode observar o comprometimento do contorno corporal com a diminuição da cintura. Entretanto, somente um profissional experiente pode fazer o diagnóstico correto. Por esse motivo é tão importante procurar um cirurgião plástico especializado.

Como tratar a diástase abdominal com abdominoplastia?

Quando o paciente não consegue fechar a diástase com exercícios, dieta ou uso de cinta abdominal — ficando assim identificada como diástase severa —, a cirurgia acaba sendo a melhor opção.

Nesses casos, a separação muscular é maior e só pode ser corrigida através da abdominoplastia, uma cirurgia plástica que retira o excesso de pele e reaproxima a musculatura abdominal promovendo o fechamento da diástase.

O procedimento consiste em uma incisão transversa no abdome inferior na qual se descola a pele até próximo às costelas. Em seguida, ocorre o fechamento da diástase com a aproximação muscular. Por fim, um novo umbigo é confeccionado e o excesso de pele, retirado.

De que maneira é feita a recuperação após a abdominoplastia?

O período pós-operatório exige alguns cuidados especiais para que o resultado seja obtido com sucesso. O uso da cinta abdominal deve ser imediato após a cirurgia. Em seguida à primeira semana, sessões de drenagem linfática também são recomendadas. Esforço físico deve ser evitado por um período de 40 dias, assim como exposição ao sol.

Os curativos devem ser mantidos sempre limpos e o paciente deve dormir de barriga para cima durante algumas semanas. Ao longo do período de recuperação, o acompanhamento médico é obrigatório para observar a evolução.

Nesse sentido, a abdominoplastia passou a ser, além de cirurgia estética, um procedimento reparador por meio do qual é possível reverter processos indesejados, melhorar a autoestima e a qualidade de vida e diminuir o desconforto.

Agora você sabe como tratar a diástase abdominal! No entanto, lembre-se sempre que somente um profissional especializado é capaz de avaliar e indicar o tratamento adequado.

Este artigo foi útil? Se mesmo depois da leitura você ainda ficou com alguma dúvida ou quer saber mais detalhes sobre o procedimento, entre em contato conosco! Teremos o maior prazer em ajudá-lo no que for preciso!