Cirurgia Plástica do Abdome


Cirurgia plástica do abdome (abdominoplastia) objetiva remover o excesso de pele e gordura, reposicionar o umbigo e restaurar os músculos abdominais

Cirurgia Plástica do Abdome

Cirurgia plástica do abdômen, Plástica da barriga, Abdominoplastia, Dermolipectomia abdominal

Acúmulo de gordura, flacidez de pele, estrias, gravidez, envelhecimento, oscilações de peso e fatores hereditários podem contribuir para o desenvolvimento de um abdome protuso, frouxo e flácido. Em casos mais graves o abdome chega a ter o aspecto de um “avental”. A cirurgia plástica do abdome tem o objetivo de remover o excesso de pele e gordura do abdome, reposicionar o umbigo e restaurar os músculos abdominais enfraquecidos ou separados (plicatura muscular).

Visando uma melhora ainda maior do contorno corporal, a cirurgia plástica do abdome pode se associar a outros procedimentos, tais como: lipoaspiração (lipoabdominoplastia), aumento das mamas com implantes de silicone (mamoplastia de aumento) e redução e levantamento das mamas (mamoplastia redutora ou mastopexia), etc. A abdominoplastia também ocupa papel importante entre as cirurgias pós-emagrecimento (cirurgias pós-bariátricas).

Apesar de criar um abdome mais plano e tonificado, a cirurgia plástica do abdome (abdominoplastia) não é tratamento para a obesidade, não visa à perda de peso, não substitui a prática regular de exercícios físicos e os bons hábitos alimentares. Algumas situações podem comprometer o resultado e exigem maiores cuidados, tais como: flacidez muscular excessiva, hérnias de parede abdominal, cicatrizes prévias (colecistectomia, cirurgia pós-bariátrica, laparotomia), desnutrição crônica (ex-obesos) e instabilidade em ganhar e perder peso.

Uma avaliação cuidadosa de cada paciente é a forma mais adequada para a indicação do melhor procedimento no abdome. Existem diversos tipos de abdominoplastia e cada cirurgia resulta em uma determinada apresentação cicatricial, que varia com relação à forma e ao tamanho em função da quantidade de pele e tecido abdominal a ser retirado. Dentre as variadas técnicas de abdominoplastia podemos citar:

(1) Mini-abdominoplastia

Cicatriz horizontal menor, sem cicatriz no umbigo, com ou sem plicatura muscular. Utilizada em casos de  flacidez muscular e excesso de gordura e pele em região abaixo do umbigo.

(2) Mid-abdominoplastia

Cicatriz horizontal variável, com cicatriz no umbigo, pequena cicatriz vertical entre o umbigo e o púbis e plicatura muscular. Utilizada em casos intermediários entre a miniabdominoplastia e a abdominoplastia clássica.

(3) Abdominoplastia completa (clássica)

Cicatriz horizontal maior, com cicatriz no umbigo e plicatura muscular. Utilizada em casos de flacidez muscular e excesso de gordura e pele na parte superior e inferior do abdome.

(4) Lipoabdominoplastia

Cirurgia plástica do abdome associada à lipoaspiração. A lipoaspiração é utilizada para a remoção de gordura em locais que a abdominoplastia isolada não aborda, com melhora ampliada do contorno corporal.

(5) Dermolipectomia abdominal vertical

Longa cicatriz vertical mediana incluindo o umbigo, com ou sem bifurcação no púbis, com plicatura muscular. Utilizada em casos de flacidez após perda de peso e pré-existência de cicatriz vertical grande no abdome.

(6) Dermolipectomia abdominal em âncora ou em “flor de lis”

Associação da abdominoplastia clássica com a vertical. Utilizada em casos de flacidez após perda de peso e pré-existência de cicatriz vertical grande no abdome.

(7) Abdominoplastia estendida (flancoplastia, torsoplastia)

Cicatriz circunferencial na cintura, com cicatriz no umbigo e plicatura muscular. Utilizada em casos de flacidez circunferencial envolvendo abdome, laterais e glúteos, após perda de peso.

(8) Abdominoplastia reversa

Cicatriz no andar superior do abdome, em sua maior parte escondida nos sulcos das mamas. Utilizada em casos de flacidez acima do umbigo e em casos concomitantes ou antigos de mamoplastia com “T” invertido.

 

Antes da realização de qualquer cirurgia plástica, é importante que o paciente siga as Orientações pré-operatórias.

Caso sejam colocados drenos, sua retirada se dá com 1 a 3 dias. O tempo necessário de afastamento do trabalho é cerca de 14 dias. Nas primeiras 2 semanas, ao se deitar, o paciente deverá ficar de barriga para cima, utilizar a cabeceira elevada, com os joelhos dobrados e as pernas ligeiramente elevadas (posição de Fowler), ao ficar de pé, o paciente deverá inclinar ligeiramente o tronco para frente. Inicialmente não se devem pegar pesos. Só é permitido dirigir após 20 dias e a malha compressiva e a espuma abdominal devem ser utilizadas por cerca de 2 meses. É necessária a realização de drenagem linfática. Roxos e inchaços são temporários e tendem a desaparecer. Dor forte é rara. Não é permitido tomar sol nas cicatrizes por no mínimo 6 meses.

Leia mais em orientações sobre abdominoplastia.

 

FAQ - Perguntas Frequentes: Cirurgia Plástica do Abdome

Cirurgia plástica indicada em mulheres e homens com flacidez de pele associada a gordura localizada em abdome. Também é indicada em ex-obesos com estabilidade do peso (cerca de 18 meses após cirurgia bariátrica). Não é ideal para mulheres que ainda desejam ter mais filhos e não está indicada para pessoas muito acima do peso.

Geralmente a partir de 35 anos.

Local com sedação (casos menores), raquianestesia com sedação, peridural com sedação ou geral.

De duas a seis horas (dependerá do tipo de técnica e a associação com lipoaspiração).

Internação de 12 a 24 horas. O paciente geralmente é liberado no dia seguinte.

Os pontos da pele não precisam ser retirados quando são absorvíveis ou são retirados de 14 a 21 dias quando são inabsorvíveis.

Complicações pós-operatórias são raras. Dentre elas podemos citar: alterações cicatriciais (cicatrizes hipertróficas ou quelóides), hematoma (coleção de sangue), seroma (coleção de líquido), infecção, abertura da ferida operatória (deiscência de sutura), extrusão de fios de sutura, alterações da sensibilidade do abdome, dor prolongada, assimetria, necrose dos tecidos, trombose venosa profunda, complicações cardíacas e pulmonares, etc. Gestações posteriores a essa cirurgia geralmente evoluem sem problemas, mas podem comprometer seus resultados estéticos.

A cirurgia plástica do abdome promove o rejuvenescimento abdominal, tornando o abdome mais plano e tonificado. Com 12 a 18 meses de pós-operatório atinge seu aspecto definitivo. A maioria das técnicas gera uma cicatriz na região inferior do abdome, na mesma topografia de uma cesariana. O tamanho da cicatriz irá variar de acordo com a quantidade de pele e tecido abdominal a ser retirado. Embora algumas estrias abaixo do umbigo possam ser removidas, nem sempre é possível à retirada de todas elas. As incisões são posicionadas de forma que as cicatrizes fiquem menos evidentes e possam ser escondidas em roupas íntimas ou trajes de banho. Ex-obesos e portadores de muita flacidez abdominal podem ter cicatrizes em áreas que ficam mais expostas. As cicatrizes melhoraram significativamente ao longo do tempo, tornando-se mais claras e menos consistentes. Em longo prazo, o abdome pode continuar a mudar devido à gravidez, envelhecimento, ganho ou perda de peso, etc. Os resultados permanecerão mais tempo mantendo-se o peso e um estilo de vida saudável.

 

Agende uma consulta

Este é apenas um pré-agendamento. A consulta será confirmada por um atendente. Aguarde nosso contato.

 





O Corpo


Escolha e clique em qualquer área do desenho abaixo para saber mais sobre uma cirurgia ou procedimento.