Aumento da Região Peitoral


O aumento da região peitoral por meio da inclusão de implantes de silicone pode ter finalidade reparadora ou estética quando usada para camuflar defeitos

Aumento da Região Peitoral

Prótese de silicone para homens, Prótese peitoral, Implante peitoral, Implante de silicone masculino

A inclusão de implantes de silicone na região peitoral masculina pode ter finalidade reparadora quando usada para camuflar defeitos e assimetrias congênitas ou adquiridas do tórax, tais como: pectus carinatum (“peito de pombo”), pectus excavatum (“peito escavado”), síndrome de Poland (ausência unilateral parcial ou total da musculatura peitoral) ou perda de tecido muscular decorrente de traumas ou tumores. Além disso, o aumento da região peitoral também pode ser usada com finalidade estética, aumentando a projeção e definição da musculatura peitoral.

Em casos reparadores de deformidades do tórax pode ser importante a avaliação de um cirurgião torácico. Em casos estéticos o resultado é mais harmônico se o paciente já pratica atividades físicas e possui algum grau de desenvolvimento da musculatura. O implante peitoral masculino é retangular, mais fino e mais compacto que os implantes femininos. A escolha de seu tamanho varia de acordo com as dimensões do tórax, a altura e a estrutura óssea do paciente. A via de acesso utilizada é axilar (cicatriz escondida em axilas), as incisões são pequenas e os implantes são inseridos atrás de cada músculo peitoral.

Aumento da Região Peitoral

Técnica cirúrgica

• Marcação das incisões axilares + área de descolamento dos tecidos.

• Antissepsia + anestesia.

• Incisão (5 cm) e descolamento tecidual.

• Confecção de lojas submusculares (atrás dos músculos peitorais).

• Revisão de áreas com sangramento.

• Inclusão dos implantes peitorais nas lojas confeccionadas.

• Fechamento das feridas operatórias + curativo + malha compressiva.

• Observação:

Em casos em que há ausência do músculo peitoral (síndrome de Poland), o implante é colocado na topografia do músculo ausente, na frente das costelas.

 

Antes da realização de qualquer cirurgia plástica, é importante que o paciente siga as Orientações pré-operatórias.

O tempo necessário de afastamento do trabalho é de 7 a 10 dias. O paciente poderá realizar a maior parte de suas atividades cotidianas. Entretanto, nos primeiros 45 dias de pós-operatório não são permitido realizar atividades físicas, pegar pesos, deitar de bruços ou movimentar os braços acima da altura dos ombros. Não se deve dirigir por cerca de 20 dias e a malha torácica compressiva (cinta peitoral) deve ser usada por cerca de 2 meses. Roxos e inchaços podem aparecer, mas são temporários. Dor pode ser um pouco maior somente nos 2 primeiros dias. Não se deve tomar sol nas cicatrizes por no mínimo 6 meses.

Leia mais em orientações sobre implante peitoral.

 

FAQ - Perguntas Frequentes: Aumento da Região Peitoral

Cirurgia plástica indicada para homens que desejam projetar mais a região peitoral, uni ou bilateralmente, por motivos estéticos ou reparadores. Essa cirurgia não está indicada para corrigir flacidez ou queda das mamas em homens.

A partir de 18 anos.

Local com sedação, bloqueio intercostal (anestesia do tórax) com sedação, peridural com sedação ou geral.

De uma hora e meia a duas horas.

Internação de oito a doze horas. O paciente é liberado no mesmo dia.

Os pontos da pele não precisam ser retirados quando são absorvíveis ou são retirados com 12 a 14 dias quando são inabsorvíveis.

Complicações pós-operatórias são raras. Dentre elas podemos citar: hematoma (coleção de sangue), seroma (coleção de líquido), infecção, abertura da ferida operatória (deiscência de sutura), alterações cicatriciais, alterações temporárias de sensibilidade, deslocamento dos implantes, contratura capsular (tecido cicatricial rígido em torno do implante), assimetria, etc.

Um resultado definitivo é considerado após 3 a 6 meses. As cicatrizes geralmente são pequenas, discretas, além de ficarem escondidas nas axilas, sob os pelos. A cada 10 anos recomenda-se que o paciente faça o exame dos implantes. Não há garantia de que os implantes durem a vida toda, podendo ser necessária à substituição de um ou ambos os implantes. Não há como prever o surgimento de estrias, pois dependem da tendência de cada paciente. Os implantes são recobertos pelo músculo e são praticamente impalpáveis. Após um período de 2 meses, em casos estéticos, é preciso iniciar e manter uma rotina de exercícios físicos para conservar os efeitos obtidos.

 

Agende uma consulta

Este é apenas um pré-agendamento. A consulta será confirmada por um atendente. Aguarde nosso contato.

 





O Corpo


Escolha e clique em qualquer área do desenho abaixo para saber mais sobre uma cirurgia ou procedimento.